Vale a pena fazer empréstimo para pagar dívida?

Fala, pessoal! Como estamos?

Hoje o tema é um pouco mais financeiro e envolve um pouco de matemática. Mas juro, logo depois deste pequeno texto, você saberá EXATAMENTE o que fazer! Afinal, vale a pena fazer empréstimo para pagar dívida?

Mas antes, o que são INADIMPLENTES?

61 milhões de inadimplentes! Esse é o número publicado na última pesquisa realizada pela Serasa Experian e IBGE. Inadimplentes são pessoas que contraíram dívidas e não pagaram no prazo. Portanto, se você tem uma dívida ou financiamento mas paga em dia, seu nome não corre o risco de ser “negativado”. Negativado? Oi?!

Negativado é o termo utilizado quando o nome de uma pessoa inadimplente é enviado para o Cadastro das Empresas de Informação de Crédito. Isso pode ocorrer de 30 a 45 dias de atraso nas contas, com exceção das contas telefônicas, que exigem 90 dias de atraso.

Mas só tem dívida quem está inadimplente?

NÃO! Todas as pessoas que possuem algum empréstimo, financiamento ou qualquer contrato de parcelas para aquisição de qualquer bem possui uma dívida!

Mas antes de falarmos se vale ou não a pena…Vamos entender os motivos!

Mais importante do que resolver sua dívida é entender o por quê ela existe. Existem 3 perfis de comportamento quando falamos de dinheiro:

  1. Poupador Consciente: tem o hábito de poupar independentemente de quanto ganha. Dificilmente se envolve em dívidas e, quando contrai algum tipo de empréstimo ou financiamento, recebe mais juros provenientes dos investimentos do que paga.
  2. Poupador/Devedor Eventual: ora paga juros, ora recebe. Não tem a disciplina de poupar, mas também não tem o hábito de dever. Poupa “quando dá”. É indisciplinado, mas está longe de ficar no vermelho, envolto em dívidas.
  3. Devedor Compulsivo: de dívida em dívida, o Devedor Compulsivo praticamente precisa de uma dívida para sobreviver. Ele acredita, ERRONEAMENTE, que para prosperar é necessário contrair dívidas.

Como podemos ver, assim como nosso porte físico, que depende de nossos hábitos alimentares e de exercícios, nossa situação financeira está diretamente atrelada aos nossos hábitos financeiros e de consumo. Nos dois casos estamos falando de HÁBITOS!

Se você contraiu uma dívida eventual, ok! Acontece mas se prepare para que não ocorra novamente de forma prejudicial à sua tranquilidade financeira.

Agora, se você sai de dívida e entra em outra, aí temos um problema considerável de hábitos financeiros péssimos. Cuidado, você está no caminho do CAOS financeiro.

Quanta enrolação! No Final das Contas, vale a pena fazer empréstimo para pagar dívida?

Então…vamos lá! Direto ao ponto!

Fazer empréstimo ou contrair uma dívida são cenários muito parecidos: pagar juros. Não interfere muito a causa do empréstimo, do financiamento, da dívida. O foco da discussão deve ser o juro pago. Desta forma, quanto menor a taxa de juros, e, por sua vez, o montante total pago em juros, melhor!

Assim, se você possui uma dívida de 60 meses, no valor total de R$100mil com juros de 4,5% ao mês, trocar por uma dívida com um percentual de juros menor do que 4,5% ao mês já vale a pena. Se quiser comprovar, pegue os cálculos da amortização da dívida e veja o quanto paga de juros quando quitá-la por completo. Vamos ver?

 

Como podemos ver acima, uma leve queda na taxa de juros (de 4,50% para 4,49%) significa uma economia considerável, de mais de R$500 se a amortização do empréstimo for pela Tabela Price e mais de R$300 pela Tabela SAC.

“E se eu conseguir uma taxa melhor? Melhora muito?”

COM CERTEZA!

Vamos simular o mesmo montante (R$100mil), no mesmo prazo (60 meses), com uma taxa acessível no mercado e consideravelmente menor que a aplicada no primeiro exemplo: 3,0% ao mês.

Pois é! Consegue ver? Seus juros pagos possuem uma diferença ABSURDA!

  • Tabela Price: diferença de R$73.927,78. São quase 75 mil reais!
  • Tabela SAC: diferença de R$45.750,00.

Assim comprovamos nossa tese: vale, sim, a pena trocar uma dívida cara, com alta taxa de juros, por um empréstimo mais barato, com uma taxa de juros menor! A dica é sempre fazer a conta e ver em quais condições pagamos menos juros.

“E qual tipo de amortização vale mais a pena: SAC ou Price?”

Se você tiver acesso à Tabela SAC, melhor. Acontece que depende muito de algumas variáveis para ter acesso a uma grande prestação inicial, como uma renda maior, por exemplo.

A Tabela SAC exige pagamentos maiores no início, mas no final das contas, os juros são menores do que na Tabela Price.

Espero que este post tenha ajudado a refletir e a melhorar um pouco sua situação financeira!

Se tiver dúvidas quanto à sua dívida, entre em contato conosco através do Whatsapp (11) 9 4142 9797 ou pelo nosso facebook (www.facebook.com/nofinaldascontas).

Um abraço e até mais!

 

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2017/07/brasil-tem-recorde-de-inadimplentes-61-milhoes-com-nome-sujo.html

 

Victor Corazza Modena é graduado em Ciências Contábeis pela Faculdade de Economia e Administração da USP e Pós-graduado em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas. Desenvolveu carreira em várias áreas do mundo corporativo, consolidando-se em Finanças, Marketing e Vendas, além de realizar projetos de consultoria para pequenas e médias empresas.
É apaixonado por pessoas, futebol, música e café.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *